Custos de Produção

CUSTOS DE PRODUÇÃO

A segunda live realizada durante a 18ª edição do Agronegócios Copercana foi apresentada pelo gestor Corporativo da Canaoeste, Almir Torcato que ao explanar  “Custos de Produção”, trouxe um olhar sobre a participação dos insumos no custo de produção e neste sentido, poder trabalhar a melhor solução para o cooperado e associado ter eficiência. 

“Estamos em hora de tomar decisões e para que elas sejam mais assertivas é importante entendermos de maneira prática, objetiva e simplificada o custo de produção e a participação dos insumos nesse custo. A ideia através desse bate-pao é falar sobre o cenário econômico e as variações que isso vai impactar nas nossas tomadas de decisões”, disse Torcato. 

O profissional na ocasião frisou que o resultado econômico tem base em três pilares: Custo (onde é possível ter interferência), Preço (que depende de influências externas, mercados, entre outros) e Produtividade (um pilar há determinado controle, mas não 100%, pois depende de clima e outros). 
“Somado a isso temos a questão econômica e este é um ano político e sabemos que tem questões econômicas importantes a ser obervadas e variáveis que vão impactar diretamente na economia e nos preços de produtos no geral”, afirmou.

Riscos e Incertezas - “O produtor rural tem que ter fé, pois produzir cana é uma  atividade de risco e ele está suscetível a muitas variáveis”. Torcato salientou ainda que a tendência dessa safra é de preços mais altos e mostrou nos gráficos que através das variações significativas ente 2016 e 2021. Como fazer o planejamento de caixa com os impactos em relação a qualidade e produtividade, ATR kg/ton e também a produtividade de ton/ha? No gráfico apresentado por Torcato foi possível ver que começou 2016 com 82,00 e terminou 2021 em 68,00. “Acho que todo mundo foi impactado. A média da Canaoeste teve impacto de 20% no geral, tivemos pontos altos de 27% e outros de 13% de quebra de produtividade em função climática. Produzir cana envolve administrar situações adversas ao longo da safra. A safra só se define no ano”.

Clima e produtividade - Outro ponto importante salientado por ele foi a quebra de produtividade por conta da questão climática que envolve a questão de precipitação e chuvas. “Na comparação de chuvas ao longo de 2020 e 2021, tivemos um ano mais seco considerado principalmente as chuvas do segundo e terceiro trimestre. As chuvas do primeiro e do segundo trimestre desta safra 2022 começa a dar um sinal de que temos uma recuperação não muito grande, mas talvez em torno de 4 a 5% nas nossas regiões”.

Custo de produção - O custo de produção tem a ver com produtividade e é preciso estudar as variáveis para conseguir entender e conseguir um resultado econômico. “Às vezes temos uma tendência de olhar muito só o valor final e quando olhamos apenas o valor final, não entendemos o entorno que envolve isso tudo.  O produtor precisa saber o que ele produz para analisar o contrato com a unidade industrial e analisando esse contrato saber o que ele está entregando ou seja, se ele está entregando ATR, qualidade de matéria prima ou se ele está entregando tonelada de cana”. 
Segundo Torcato, atualmente uma cana certificada consegue gerar mais ou menos R$ 1,03 e se estiver dentro do programa RenovaBio esse valor pode responder até R$ 4,05 por tonelada de cana.



Quanto custa para o produtor formar um canavial atualmente? De acordo com Torcato,  o preparo de solo fica em torno de  R$1400/ha e envolve várias operações. A operação de plantio em soma de hectares em média R$ 8.370, considerando toda a operação ( hora trabalhada, trator, diesel e insumo). Já o trato de cana planta R$ 843. 
“O valor padrão da Canaoeste para formar um canavial até o trato de cana plana hoje custaria em torno de R$ 10,600, isso pode variar de acordo com a região e a peculiaridade do produtor”. O profissional informou ainda que para o trato de cana soca que é uma outra operação que vai do segundo corte para frente, o valor médio é em torno de R$ 4,423. “Hoje 91% do trato de cana soca é insumo, os outros 9% são diesel, implementos e outras operações. Precisamos criar estratégias de negócios que favoreçam a melhor tomada de decisão para impactar o nosso custo de produção para baixo e fazer o resultado econômico até mais efetivo”.

Perdeu essa live? ASSISTA AQUI!
 

VEJA MAIS NOTÍCIAS