Milho/MT: Imea eleva previsão da safra em 2017/18 para 25,91 mi t, ante 24,74 mi t em dezembro

O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária elevou sua estimativa de produção de milho do Estado na safra 2017/18 para 25,91 milhões de toneladas, ante 24,74 milhões de toneladas da projeção anterior, divulgada em dezembro do ano passado. Somado ao estoque inicial na temporada, de 90 mil toneladas, o volume resulta em oferta de 25,99 milhões de toneladas no período, 2,13% acima do projetado no último boletim. A revisão foi publicada nesta segunda-feira e se justifica "por causa das condições climáticas mais favoráveis ao desenvolvimento das lavouras", conforme o Imea.
 
O instituto fez a ressalva, porém, de que em razão do menor investimento em tecnologia e da perspectiva de uma área plantada menor que na safrinha de 2016/17, a oferta mato-grossense de milho em 2017/18 será 14,71% inferior à da temporada passada.
 
A demanda pelo cereal do Estado projetada agora, de 25,89 milhões de toneladas, é 2,13% maior que a prevista em dezembro. Um dos motivos para o reajuste é a maior procura das usinas de etanol pelo produto do Estado, estimada pelo Imea em 5,23 milhões de toneladas na temporada.
 
O número previsto para as exportações estaduais, de 15,68 milhões de toneladas, continua menor que o da safra passada em 22,84%, mas supera as 15,58 milhões de toneladas estimadas pelo Imea em seu último levantamento. Além disso, o instituto projeta vendas para outros Estados do País de 4,98 milhões de toneladas, acima das 4,53 milhões de toneladas no ciclo 2016/17.
 
Safra 2016/17 O Imea manteve sua projeção de oferta de milho de Mato Grosso da safra 2016/17 em 30,47 milhões de toneladas, dada uma produção consolidada em 30,45 milhões de toneladas e estoque inicial de 20 mil toneladas. Mas elevou em 2,08% a estimativa de demanda, para 30,39 milhões de toneladas, em virtude da perspectiva de exportações de 20,32 milhões de toneladas "possibilitadas pela fluidez nas vendas durante os leilões públicos".
 
O consumo interno em Mato Grosso também foi reajustado para 4,54 milhões de toneladas, por causa da maior demanda pelo cereal por usinas de etanol - no boletim de dezembro, a previsão era de 4,37 milhões de toneladas. Já a procura de compradores de outros Estados por milho mato-grossense foi revisada para 4,53 milhões de toneladas, contra 6,48 milhões de toneladas esperadas em dezembro. "A ampla produção em todo o País acabou por diminuir a demanda interestadual", disse o Imea no boletim.
 
Com a perspectiva de maior demanda, a previsão de estoques finais na safra 2016/17 foi reduzida para 90 mil toneladas, ante 710 mil toneladas projetadas em dezembro.

mais
Notícias
do setor

Açúcar sobe 412 pontos em 30 dias, em NY 22 de Outubro 2018

Os contratos futuros do açúcar fecharam em alta na sexta-feira (19). Em Nova York os contratos para março/19 foram firmados em 13.89 [...]

ler mais

Plantio da soja no Brasil é o mais acelerado da história 22 de Outubro 2018

O levantamento semanal realizado pela consultoria AgRural constatou que o plantio da soja safra 2018/2019 de soja chegou na quinta-feira (18) a 34% da [...]

ler mais

Como o agronegócio vence a crise? 22 de Outubro 2018

O agronegócio foi um dos poucos setores que tiveram forças para remar contra a maré da recessão que tomou conta da economia [...]

ler mais

Etanol: hidratado cai 0,45% e anidro sobe 3,17% nas usinas [...] 22 de Outubro 2018

O etanol hidratado registrou queda no período de 15 a 19 de outubro, pelos índices do Cepea/Esalq, da USP, em São Paulo. Na última [...]

ler mais

Plantio da soja em Goiás segue acelerado em relação ao ano [...] 19 de Outubro 2018

Com a chegada antecipada das chuvas, a previsão climática favorável ao andamento da safra de soja em Goiás. Pouco mais de duas [...]

ler mais

Chuvas colhem adiantamento da safra de cana do PR. Há um [...] 19 de Outubro 2018

Situação se inverteu em menos de 15 dias. Em uma semana, mais de 200 mm de chuva. Nenhuma usina funcionando hoje (18). 27 mi/cana contra 28 mi/t [...]

ler mais

@ 2018 Agronegócios Copercana Todos os direitos reservados