Conab divulga pela primeira vez dados sobre a produção de etanol de milho

Cada vez mais relevante no cenário nacional, o milho já é responsável pela produção de cerca de 1,4 bilhão de litros do etanol total produzido no país, somando-se anidro e hidratado. Os dados foram coletados pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), e divulgados na última terça-feira (7) junto com o 1º Levantamento da Safra 2019/2020 de cana-de-açúcar, que traz também dados do etanol da cana, além da produção do açúcar no país.

Segundo o estudo, o estado que mais produz etanol de milho é Mato Grosso, seguido por Goiás e Paraná. “Existe a perspectiva de surgirem novas unidades de produção, porque outros estados já estão investindo para iniciar sua produção nos próximos anos”, afirma o diretor de Política Agrícola e Informações da Conab, Guilherme Bastos. “Entre as vantagens do milho em relação à cana, está o fato do Brasil ser um dos maiores produtores do grão. E vale lembrar que o produto final é o mesmo”.

Quanto aos números da cana-de-açúcar, o primeiro ciclo da safra 2019/2020 indica que o Brasil deverá produzir cerca de 616 milhões de toneladas, o que representa uma redução de 0,7% em relação à safra anterior, que foi de 620,4 milhões de t. A explicação seria a retração da área colhida, estimada em 8,38 milhões de hectares, uma queda de 2,4%, se comparada à safra 18/19. Embora tenha havido um aumento da produtividade média, não foi suficiente para influenciar positivamente na produção.

A novidade neste levantamento é que a produção de açúcar voltou a aumentar e deverá atingir cerca de 31,8 milhões de toneladas, ou seja, um crescimento de 9,5%.Isso demonstra uma tendência de reequilíbrio entre a destinação de cana-de-açúcar para a fabricação de açúcar e etanol”, garante Bastos. “Mas, embora o açúcar esteja se recuperando, a tendência é que o mercado ainda se mantenha mais atrativo para o etanol, em razão principalmente da grande quantidade que existe de açúcar no mercado.
 
A Índia, por exemplo, mantém a sua produção elevada e isso diminui nossa exportação e puxa o preço no mercado interno para baixo. Com isso, o produtor opta por investir no combustível”, conclui.

O 1º Levantamento da Cana mostra que a produção total de etanol está prevista para 30,3 bilhões de litros. Isso representa uma diminuição de 4,2% em relação à safra passada, que foi de 33,1 bilhões. O anidro, utilizado na mistura com a gasolina, deverá ter aumento de 11%, alcançando 10,6 bilhões de litros. Já no caso do hidratado, o total produzido deverá ser de 19,7 bilhões de litros, com redução de 16,5% ou 3,88 bilhões de l.

mais
Notícias
do setor

80 toneladas por hectare não é bom! 24 de Maio 2019

Por: Marino Guerra Mais de uma década de crise, o que gerou um tombo no investimento nas lavouras, impactos climáticos e a mudança de [...]

ler mais

O poder em atravessar a palha da cana 24 de Maio 2019

Por: Marino Guerra O Tractor é um herbicida produzido pela Nufarm e tem como ingredientes ativos a mistura do 2,4-D com Picloram, cujo principal foco [...]

ler mais

Vinhaça como protagonista no trato de soqueira 24 de Maio 2019

Por: Marino Guerra Diante de períodos de colheita cada vez mais secos,é nítida a diferença das áreas de vinhaça em [...]

ler mais

Calcário: não é só usar, incorporar é fundamental 24 de Maio 2019

Por: Marino Guerra O professor da UFU (Universidade Federal de Uberlândia) e consultor especialista em adubação, Gaspar Korndorfer, [...]

ler mais

Vai chover no outono e inverno 24 de Maio 2019

Por: Marino Guerra Antes de chegar à constatação de que vamos ter um outono e inverno perto das médias históricas de [...]

ler mais

Produtor questiona o uso de nitrogênio foliar 24 de Maio 2019

Por: Marino Guerra Pode-se dizer que o respeito do mundo canavieiro ao produtor de Campo Florido-MG, Daine Frangiosi, cresceu na mesma [...]

ler mais

@ 2019 Agronegócios Copercana Todos os direitos reservados